saude   / Terceira dose em grávidas

Terceira dose: todas as grávidas devem tomar reforço das vacinas de covid?

Dra. Lorena de Castro Diniz comenta se terceira dose da vacina é recomendada para gestantes também

VIVA SAÚDE Publicado quinta 2 dezembro, 2021

Dra. Lorena de Castro Diniz comenta se terceira dose da vacina é recomendada para gestantes também
Todas as grávidas devem tomar terceira dose da vacina de covid? - Freepik

O avanço da vacinação contra a Covid-19 no Brasil já permitiu alcançar notáveis ganhos em saúde pública, reduzindo de maneira significativa a ocorrência de casos graves e óbitos pela Covid-19. Mas devido à tendência da redução da efetividade das vacinas contra a doença com o passar do tempo e considerando a possibilidade de amplificação da resposta imune com doses adicionais de vacinas Covid-19, desde 17 de novembro está indicada a dose de reforço para todos os indivíduos com mais de 18 anos de idade, que deverá ser administrada cinco meses após a última dose do esquema vacinal primário dos imunizantes Pfizer, AstraZeneca e Coronavac.

+++ Cannabis medicinal: Anvisa aprova oitavo medicamento com canabidiol

TERCEIRA DOSE PARA GRÁVIDAS: QUAL TOMAR?

A Dra. Lorena de Castro Diniz, Coordenadora do Departamento Científico de Imunização da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), explica que a vacinação das gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), a partir de 18 anos, deverá ser realizada com os imunizantes que não contenham vetor viral (Sinovac/Butantan e Pfizer/Wyeth), preferencialmente Pfizer.

“Estudos de farmacovigilância demonstram que os eventos adversos com a segunda dose ou dose de reforço foi menor quando comparado à primeira dose da vacina”, explica a especialista.

A médica conta ainda que alguns estudos evidenciaram a presença de anticorpos no leite materno e a transmissão transplacentária no último trimestre de gestação após a vacinação da mãe.

+++ Terceiro caso da variante Ômicron é confirmado no Brasil

“A gestação deixa a mulher em condição de evoluir com maior gravidade caso contaminada pela Covid-19, mas se ela já tem o esquema primário completo de imunização, não há teoricamente uma prioridade nesta população, devendo seguir o esquema conforme população geral, exceto pelo fato de poder receber exclusivamente a vacina da Pfizer para este reforço”, comenta Dra. Lorena.


Sobre a ASBAI

A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia existe desde 1972. É uma associação sem finalidade lucrativa, de caráter científico, cuja missão é promover a educação médica continuada e a difusão de conhecimentos na área de Alergia e Imunologia, fortalecer o exercício profissional com excelência da especialidade de Alergia e Imunologia nas esferas pública e privada e divulgar para a sociedade a importância da prevenção e tratamento de doenças alérgicas e imunodeficiências. Atualmente, a ASBAI tem representações regionais em 21 estados brasileiros.

Último acesso: 29 Jan 2022 - 09:48:51 (3648).