saude   / Acidentes

Acidentes de trânsito são uma das principais causas de politraumatismo; entenda o que é a condição

Acidentes de trânsito causam muitas vítimas de politraumatismo, e o Brasil ocupa a quarta posição dos países com mais fatalidades nessas situações, conforme a OMS

Jennifer de Carvalho com supervisão de Marina Pastorelli Publicado quinta 18 novembro, 2021

Acidentes de trânsito causam muitas vítimas de politraumatismo, e o Brasil ocupa a quarta posição dos países com mais fatalidades nessas situações, conforme a OMS
Acidentes causam politraumatismo - Pexels/RODNAE Productions

Acidentes de carro ou moto, infelizmente, são comuns de serem vistos, principalmente no Brasil. De acordo com estudo de 2019 da Organização Mundial da Saúde (OMS), o país ocupa a quarta posição das nações com mais vítimas fatais em acidentes de trânsito. O que muitos podem não saber, é que grande parte das mortes ocorrem devido a uma condição clínica chamada politraumatismo.

Ao sofrer um acidente aéreo na sexta do dia 05 de novembro de 2021, a grande voz da música sertaneja, Marília Mendonça, e mais quatro pessoas faleceram. Pedro Coelho, médico legista do Posto Médico Legal de Caratinga (MG), disse que o politraumatismo contuso poderia ser a possível causa da morte dos tripulantes. Os resultados concretos ainda devem ser aguardados para o laudo definitivo. 

“O politraumatismo é uma condição clínica caracterizada pela ocorrência de múltiplas lesões no corpo, em órgãos ou partes distintas, como cérebro (crânio) e pulmões (tórax) por exemplo. Algumas dessas lesões podem causar deficiência significativa e podem ser fatais”, explica o neurocirurgião Dr. Leonardo Faria. E quando se trata de quedas ou impactos com avião, dependendo do modo como o acidente ocorreu, o médico diz que “boa parte dos óbitos é decorrente, sim, do politraumatismo”.

+++ Whindersson Nunes pretende pausar a carreira para cuidar de seu bem-estar

+++ Fiocruz divulga alerta para o Brasil, com a nova onda de Covid-19 na Europa e Ásia. ''O risco de recrudescimento permanece''

Suicídios e tentativas de homicídios são outras causas que podem levar à condição. Dados da Azos mostraram que, de 2014 até 2019, o número de pessoas que tiraram a própria vida, no Brasil, passou de 9,7 mil para 12,4 mil, o que representa um aumento de 28%. E, conforme dados do Governo de São Paulo, a tentativa de homicídio no estado, de janeiro até setembro de 2021, já totaliza 2.445. Segundo o neurocirurgião, o politraumatismo “é uma das principais, senão a principal causa de morte em adultos jovens em países ocidentais”

Mas, será que o politraumatismo sempre leva à morte? Conforme o Dr. Leonardo Faria, a condição nem sempre é fatal. “Mas, por definição técnica, ele é sempre grave e requer cuidado de saúde emergente e especializado”

Politraumatismo e prevenções

O Dr. Leonardo Faria cita quais são as prevenções primárias e secundárias:

Primárias

  • Mudanças comportamentais;
  • Campanhas informativas e legais contra álcool e drogas;
  • Controle de armas de fogo;
  • Estratégias de prevenção de quedas em idosos;
  • Limites de velocidade.

As secundárias englobam a “utilização de cintos de segurança, capacetes, utilização de materiais não inflamáveis, entre outras”

“As principais causas de complicações e óbitos decorrentes dos politraumatismos são indiretamente a imprudência e negligência humana”, alerta o médico.

Último acesso: 29 Jan 2022 - 10:32:53 (3565).