esporte-e-lazer   / Alimentação antes do treino

Alimentação pré-treino não é para todos e exige atenção redobrada

Nutricionista dá dicas importantes para os atletas que querem tirar o máximo de proveito da alimentação

Viva Saúde Publicado quinta 21 outubro, 2021

Nutricionista dá dicas importantes para os atletas que querem tirar o máximo de proveito da alimentação
Alimentação antes do treino - Freepik/nensuria

A alimentação é uma aliada essencial dos atletas que querem manter um estilo de vida saudável. É como uma cadeia de engrenagens, na qual uma não funciona bem sem a outra. Por isso, aqueles que seguem uma boa rotina de atividades físicas devem ter atenção com os alimentos que são ingeridos, pois, eles tanto podem auxiliar como podem atrapalhar no desempenho esportivo.

Para a nutricionista Dani Borges, antes de pensar em uma alimentação pré e pós treino deve-se avaliar que tipo de dieta se está seguindo rotineiramente. “Se você estiver seguindo uma dieta adequada para o seu consumo calórico e seus objetivos, talvez não seja preciso adequar uma refeição a mais”, explica. De acordo com ela, a refeição pré-treino, por exemplo, é indicada para pessoas as quais o intervalo de tempo entre a última refeição e o início da atividade física é muito longo. “Tem que ser muito bem elaborada para o objetivo da pessoa, para a rotina e para o estilo de treino”, aconselha.

A especialista afirma, ainda, que diferentes alimentos podem colaborar para diferentes objetivos e metas sendo, assim, necessária uma avaliação individual feita por um nutricionista. “Um dos melhores pré-treinos, em termos de alimentação, seria o carboidrato. Uma fruta, uma batata doce, uma mandioca ou um arroz integral com um pouquinho de proteína”, exemplifica. Por outro lado, Dani Borges alerta para o consumo de gorduras como a pasta de amendoim, pois, enquanto algumas pessoas se dão bem com o consumo, outras podem passar mal durante os exercícios. “A gordura retarda o esvaziamento gástrico, demora para ser digerida e tem pessoas que sentem o alimento voltando na hora da atividade física”.

+++ Na palma das mãos! Confira três exercícios simples com pesos para fazer de casa

+++ Níveis de exercícios x condicionamento físico. Estudo mostra como funciona essa relação

É válido ressaltar que, se for alimentar-se cerca de 1 hora antes do treino, deve-se optar pelos carboidratos de lenta absorção para evitar uma alteração muito brusca de insulina, que pode levar a uma hipoglicemia. Já para aqueles que preferirem o consumo da gordura, a nutricionista recomenda um café termogênico, junto com ovos, ou uma mistura de oleaginosas como castanhas.

Para os pós-treino, alguns estudos defendem que utilizar um carboidrato de alto índice glicêmico junto com o whey imediatamente após o treino seria interessante para uma estratégia de hipertrofia, outros que não há necessidade e que realizando uma refeição até 2 h após já seria suficiente, “É difícil provar o que dá certo e o que não dá, mas, acho essa estratégia do pós treino imediato interessante”, opina Dani Borges. Porém, a nutricionista explica que estudiosos também acreditam que uma refeição imediata, sólida e equilibrada, dentro do mesmo período de tempo é uma opção válida para suprir o que é necessário no pós-treino.


Sobre Dani Borges

Dani Borges é nutricionista, educadora física, Diva Fitness WBFF Pro, Coach de Saúde, modelo fitness e influenciadora digital, contando com mais de 400 mil seguidores no Instagram, onde dá dicas sobre rotina fitness e lifestyle.

Último acesso: 29 Jan 2022 - 10:51:28 (3451).