Publicidade

Síndrome de Borderline: transtorno é mais comum do que se imagina

Psicanalista afirma cura possível da Borderline e explica sintomas e tratamento do transtorno que só cresce; entenda!

Síndrome de Borderline: transtorno é mais comum do que se imagina
Síndrome de Borderline: transtorno é mais comum do que se imagina – Foto: Freepik

“Eu chamo a sociedade atual de sociedade do 8 ao 80 ou sociedade Borderline já que, cada vez mais pessoas se descontrolam e a cada dia acompanhamos casos extremos de comportamento sem limites envolvendo a saúde mental das pessoas”, explica Taty Ades, psicanalista e especialista em Transtorno Borderline.

Publicidade

A autora do livro Borderline: a Cura é Possível, a profissional admite que o transtorno é cada vez mais comum e se apresenta de várias maneiras.

“Os sintomas podem prejudicar muita a vida de qualquer indivíduo, já que são notados, além da frustração, um misto de ansiedade, depressão, angústia e vazio, tudo junto e misturado. Esse quadro chega a ficar insuportável a ponto de prejudicar a vida pessoal e até profissional do indivíduo, sendo que, é essencial que a pessoa tenha apoio profissional e familiar para iniciar o processo em prol da melhora de qualidade de vida”, salienta.

A terapeuta afirma que é possível chegar à cura, desde que paciente e profissional de saúde trabalhem em conjunto, com apoio de amigos e familiares.

Saiba mais como funciona o transtorno de Borderline

“Criei um método exclusivo que intitulo de ‘costura’, que consiste em costurar mesmo uma identidade na outra para a pessoa poder equilibrar-se como um todo e não fique oscilando entre o oito e oitenta, como já falamos. É preciso espalhar informação para que se tenha conhecimento e para as pessoas buscarem ajuda e consigam superar obstáculos, retomando as rédeas de suas vidas”, fala a especialista, que também é pós-graduada em Neuropsicologia.

Publicidade

Famosos como Marilyn Monroe, Princesa Diana e até Britney Spears desenvolveram comportamentos compatíveis de pacientes com Borderline.

Recentemente, o influencer Gustavo Tubarão postou um vídeo em suas redes sociais, relatando que sofre de Transtorno de Personalidade Borderline. O desabafo causou interesse da imprensa sobre o assunto.

“O meu humor muda de cinco em cinco minutos. Cheguei em um momento que não aguentava mais essa mudança de humor tão rápida. Às vezes estou em um lugar com uma turma, estou feliz, do nada já bate uma tristeza profunda, passam cinco minutos, volto a estar feliz”, relatou.

Publicidade

Para a profissional, pedir ajuda e admitir as dificuldades já é o primeiro passo de uma batalha que pode sim ser vencida. “Posso afirmar que não é fácil diagnosticar o Borderline, mas a verdade é que existe sim cura para um mal que ceifa vidas, carreiras, destrói famílias e pessoas”, afirma.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Transtorno de personalidade Borderline atinge 6% da população mundial e os cuidados se dão por meio de psicoterapia e acompanhamento psiquiátrico, com uso de remédios em alguns casos.

Publicidade