Você sabe quando procurar um pronto socorro infantil? É preciso se atentar a 6 sintomas!

Emergências pediátricas são as mais adequadas para o atendimento a crianças

Saiba a quais sinais é preciso estar atento ao cuidar de uma criança – Freepik

Você sabe quando levar seu filho ao pronto-socorro? Febre, quedas, intoxicações, entre outros sintomas, são sinais de alerta que qualquer pai ou mãe deve se atentar.

A facilidade de ter um serviço médico aberto 24h por dia, todos os dias da semana, faz com que os pais procurem o local por qualquer alteração no comportamento da criança. Mas quando realmente é necessário procurar a emergência?

De acordo com o pediatra e coordenador do pronto socorro infantil do Hospital Águas Claras, Dr. Mário Ferreira Carpi, o principal motivo pelo qual os pais levam seus filhos ao pronto socorro é a febre decorrente de infecções. “[As crianças] chegam febris e é difícil para os pais identificarem o motivo, ainda mais quando são pequenas e incapazes de expressar o que sentem”, relata.

+++ VEJA TAMBÉM: Ajude seu filho, mas não FAÇA a lição de casa por ele! Confira 5 dicas para não atrapalhar o desenvolvimento das crianças

A Sociedade Brasileira de Pediatria aponta os seis motivos para levar a criança ao pronto-socorro. São eles:

Febre

A febre, definitivamente, é o sintoma mais comum e possui diversas causas. Ela pode ser tratada em casa com o auxílio de antitérmico receitado pelo médico da criança.

O remédio tem efeito em até 50 minutos e é recomendado aguardar. Entretanto, se o sintoma persistir após 72 horas ou a criança apresentar apatia em qualquer momento, é hora de levá-la ao hospital.

Diarreia

Outro sintoma muito comum, a diarreia pode ocorrer também por diversas causas. O problema é a criança ficar desidratada devido à perda de líquidos e sais. Ficar apática e abatida enquanto continua com o desarranjo intestinal é sinal de alerta para os pais.

Os sintomas mais tradicionais da desidratação são os lábios e a língua seca, a diminuição e o escurecimento da urina e os olhos fundos. É importante observar também se não há um quadro de vômitos, já que isso representa que ela está rejeitando líquidos, favorecendo a desidratação.

+++ VEJA MAIS: Febre? Pediatra dá 9 dicas para baixar a temperatura do bebê antes de procurar por um médico

Problemas na respiração

Os pais precisam estar atentos a respiração da criança. Se, ao realizar atividades habituais, a criança fica ofegante ou parece “cansada” como se tivesse feito alguma atividade física, pode ser sinal de algo mais grave, como doenças respiratórias e infecciosas. Se os pais notarem que a criança está fazendo esforço para respirar ou apresenta respiração ruidosa, devem procurar o pronto socorro imediatamente.

Alergia

Manchas e coceiras podem ser sinais de alergia e é recomendado aos pais consultarem imediatamente o pediatra. Entretanto, a recomendação de levar a criança à emergência é se ela apresentar problemas para respirar, tontura, apatia, palidez ou se as lesões de pele começarem a formar placas. Chiado e tosse rouca são outros os sintomas a ser observados. É preciso ter atenção a inchaços na garganta e lábios e sinais de choque anafilático.

Cortes e quedas

É necessário observar a profundidade e quantidade de sangue sendo perdido em caso de cortes. No caso de quedas, é importante ficar de olho se a criança, após a batida, apresenta: sonolência, vômitos, dor de cabeça ou qualquer outra anormalidade. Esses são sinais para se deslocarem ao hospital.

Caso ela esteja abatida, principalmente se for muito ativa, também é recomendado levá-la ao pronto socorro.

Intoxicação

Qualquer tipo de contato com substâncias tóxicas é motivo para levar a criança imediatamente ao hospital. Não é recomendada a indução de vômitos. Leve o rótulo do produto para fornecer ao médico detalhes que poderão ajudar no tratamento.