saude   / Coronavírus

Estudo avalia 227 tipos de máscaras vendidas no Brasil e aponta as mais eficientes

Estudo conduzido por cientistas da USP avaliou a capacidade de filtração das máscaras

Viva Saúde Publicado terça 4 maio, 2021

Estudo conduzido por cientistas da USP avaliou a capacidade de filtração das máscaras
Estudo avaliou eficiência da filtragem de 227 tipos de máscaras - Pixabay

Um estudo conduzido por cientistas do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IF-USP) e apoiado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) avaliou a eficácia de 227 tipos de máscaras de proteção vendidas no Brasil. 

"Avaliamos a eficiência de filtração de 227 modelos vendidos no Brasil, seja em farmácia ou lojas de comércio popular. Nosso objetivo era saber em que medida a população está realmente protegida com essas diferentes máscaras", disse o professor Paulo Artaxo para a Fapesp.

+ VEJA TAMBÉM: Processo de revisão da Coronavac é iniciado pela União Europeia

Os cientistas destacaram que o modelo de máscara mais comum entre os brasileiros é a feita com tecido, no entanto, sua capacidade de filtrar partículas de aerossol varia entre 15% e 70% enquanto outros modelos oferecem melhor proteção. Segundo Fernando Morais, doutorando no IF-USP e um dos autores do estudo, as máscaras com costura no meio protegem menos, pois a máquina faz furos no tecido que aumentam a passagem de ar.

Ele destacou que embora as máscaras de tecido não sejam as mais recomendadas, "algumas são feitas com fibras metálicas que inativam o vírus, como níquel ou cobre, e por isso protegem mais. E há ainda modelos de material eletricamente carregado, que aumenta a retenção das partículas. Em todos esses casos, porém, a eficiência diminui com a lavagem, pois há desgaste do material". 

+ VEJA TAMBÉM: Venda de remédios sem eficácia comprovada contra a Covid dispara no Brasil

Os resultados foram divulgados na revista Aerosol Science and Technology e apontou que os modelos que se mostraram mais eficazes no teste foram as máscaras cirúrgicas e as do tipo PFF2/N95. Segundo o estudo, elas conseguiram filtrar entre 90% e 98% das partículas de aerossol. 

As máscaras de TNT vêm em seguida e apresentaram eficiência entre 80% a 90% e, por último, as máscaras de tecido com média de 40% de eficiência dos modelos feitos de algodão e materiais sintéticos como lycra e microfibra. 

Último acesso: 16 May 2021 - 21:26:23 (2259).