beleza   / Autocuidado

Mesmo com pandemia e máscaras, setor de beleza tem alta de 41,2%

Mesmo em cenários recessivos, a população, ainda que usando máscara, não poupa recursos destinados ao seu bem-estar e à sua autoestima

VIVA SAÚDE Publicado terça 10 novembro, 2020

Mesmo em cenários recessivos, a população, ainda que usando máscara, não poupa recursos destinados ao seu bem-estar e à sua autoestima
Mesmo com pandemia e máscaras, setor de beleza tem alta de 41,2% - Freepik

O setor de higiene e cuidados pessoais é um dos poucos que não sofreram os efeitos da pandemia neste ano, sabia?

A categoria segue crescendo e deve superar em cerca de R$ 40 bilhões o desempenho obtido em 2019, segundo a Pesquisa IPC Maps.

Segundo o levantamento, os brasileiros devem gastar até o final deste ano R$ 136,1 bilhões, contra os R$ 96,4 bilhões desembolsados no ano passado. Neste cálculo, são levadas em conta as despesas com artigos de higiene e beleza, como perfumes, cremes, bronzeadores, maquiagens, sabonetes, papel higiênico, absorventes e desodorantes, além de outros produtos para cabelo, pele, boca e unha.

+++ VEJA TAMBÉM: Óleos essenciais x pele: Com diferentes funções, eles podem ajudar a cútis ficar mais saudável e bonita
+++ VEJA TAMBÉM: Dossiê do bronzeado saudável: como manter o bronze por muito tempo? O que fazer quando exagerar no sol? Dermatologista responde!

Segundo Marcos Pazzini, responsável pelo IPC Maps, esse desempenho satisfatório no segmento de beleza evidencia uma “perspectiva de mercado pós-pandemia bem otimista, pois até mesmo em cenários recessivos, a população, ainda que usando máscara, não poupa recursos destinados ao seu bem-estar e à sua autoestima, inclusive a de classes sociais mais baixas”.

Último acesso: 06 Dec 2020 - 01:30:07 (772).