Testeira
  covid-19   / Cuidados que são para a vida!

8 hábitos adotados na pandemia que devem ser mantidos durante toda a vida

As campanhas de vacinação tornaram o fim da pandemia mais palpável, mas isso não quer dizer, no entanto, que devemos deixar de lado os cuidados para manutenção da saúde do organismo

DRA. BEATRIZ LASSANCE | DRA. MARCELLA GARCEZ | DR. JULIANO BURCKHARDT | DR. GABRIEL NOVAES DE REZENDE BATISTELLA | DRA. ELOISA PINHO | DRA. ALINE LAMAITA Publicado quarta 14 julho, 2021

As campanhas de vacinação tornaram o fim da pandemia mais palpável, mas isso não quer dizer, no entanto, que devemos deixar de lado os cuidados para manutenção da saúde do organismo
Alimentação balanceada é para a vida toda! - Freepik/ azerbaijan-stockers

Com as campanhas de vacinação a todo vapor, finalmente parece que estamos vendo uma luz no fim do túnel. Nesse período de quase dois anos, observamos o estrago que a pandemia causou: a alta taxa de mortalidade da Covid-19, o grande número de casos, o distanciamento de amigos e familiares, a crise econômica, entre muitos outros. Mas também é impossível negar que aprendemos muito com esse momento, principalmente no que diz respeito à valorização da saúde.

Com mais tempo para nos cuidarmos, somado aos alertas constantes sobre a importância do estilo de vida na prevenção de doenças, que, inclusive, figuram como comorbidades para quadros de Covid-19, aproveitamos a pandemia para adotar uma série de hábitos saudáveis de forma a manter nossa saúde em dia. Mas a aproximação do fim desse período turbulento não quer dizer que devemos deixar esses cuidados de lado.

Pensando nisso, apontamos abaixo 8 hábitos que muitas pessoas adotaram durante a pandemia e que devem ser mantidos durante toda a vida.

+++ Influência genética pode favorecer desenvolvimento de casos graves de COVID-19 em jovens saudáveis

Confira:

Continue dando valor à saúde mental

Devido ao crescimento da ansiedade e do estresse, passamos a dar muito mais importância à saúde mental, que não deve ser deixada de lado nunca. Por isso, continue investindo em cuidados que valorizem esse aspecto de sua vida. “Busque, por exemplo mais situações de vida em que o bom humor faça parte. Isso pode reduzir os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, e ajudar a manter o cérebro saudável”, explica o Dr. Gabriel Novaes de Rezende Batistella, médico neurologista e neuro-oncologista, membro da Society for Neuro-Oncology Latin America (SNOLA).

Outra forma de se acalmar e melhorar a saúde mental é por meio do contato com a natureza. “Quando você passa algum tempo ao ar livre, dá ao seu cérebro um descanso do fluxo constante de dados e estímulos que ele recebe ao longo do dia. Isso permite que ele reinicie sua capacidade de foco para que você se sinta mais criativo e mais capaz de resolver os problemas”, aconselha o médico. Em casa, procure um tempo para descansar dos estímulos alheios, pausando por um momento, desconectando-se do mundo online e tomando um tempo para respirar. Uma ótima estratégia é praticar meditação. “Além disso, no trabalho, a cada 60 ou 90 minutos, pare 15 minutos para respirar, tomar um café ou simplesmente fechar os olhos. O tempo de recuperação é extremamente importante para manejo de estresse”, afirma a cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

+++ Saiba por que na pandemia, mais do que nunca, você deve atingir 8 horas de sono de boa qualidade

Dieta balanceada é para sempre

A alimentação balanceada é um dos pilares para manutenção da saúde e prevenção de doenças, devendo ser rica principalmente em frutas, verduras e legumes. “O ideal é sempre apostar nos alimentos in natura e em preparações caseiras, priorizando as proteínas de alto valor biológico (carnes, ovos e leguminosas), os ácidos graxos ômega-3 (peixes de água fria e sementes oleaginosas), vitamina C (frutas cítricas e vegetais verde escuro), polifenóis (vegetais pigmentados e frutas de coloração avermelhada) e carotenoides (vegetais amarelos, alaranjados e vermelhos como abóbora, cenoura e tomate)”, recomenda a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, professora e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Além disso, evite o consumo excessivo de gorduras ruins, frituras, sal e açúcar. Mas tenha certeza de comer o que te dá prazer. “Se você não gostar de comer, dificilmente vai conseguir manter as mudanças de hábitos. Então, encontre um estilo de alimentação saudável que você adore e que corresponda ao que você gosta. Existem muitas opções saborosas e saudáveis demais para se contentar com alimentos que você não gosta”, diz o médico nutrólogo e cardiologista Dr. Juliano Burckhardt, membro Titular da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) e da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Mantenha o consumo de álcool no mínimo

A ingestão abusiva de bebidas alcoólicas apresenta grande risco para a saúde e não somente em tempos de pandemia. Isso porque agrava uma série de condições de saúde. O álcool, por exemplo, sobrecarrega o fígado, que é responsável pelo metabolismo de gordura. “Quando você bebe álcool, acaba adicionando mais uma tarefa na função desse órgão. Consequentemente, seu fígado não consegue processar a gordura de maneira eficiente, pois estará, também, trabalhando para expelir o álcool. Logo, ocorre a desaceleração do metabolismo, levando, inclusive, ao acúmulo de gordura, ao ganho de peso e, consequentemente, a obesidade”, explica a Dra. Marcella Garcez. “O álcool em excesso também provoca um aumento enorme na produção de radicais livres, favorece o estresse oxidativo, agrava o perfil inflamatório do organismo e também piora as respostas imunológicas”, afirma a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Isaps (International Society of Aesthetic Plastic Surgery). Por favorecer a desidratação, o álcool, além de aumentar a incidência de câimbras e dores musculares, ainda pode fazer com que o organismo retenha mais líquidos. “Como resultado, ficamos mais edemaciados e a pressão vascular pode aumentar, o que contribui para o surgimento de problemas vasculares como varizes e trombose”, alerta a Dra. Aline Lamaita.

Não perca o hábito de se exercitar

Mesmo com a rotina voltando ao normal, procure reservar pelo menos 30 minutos de seu dia para realizar algum exercício físico. “Faça alongamento, abdominais, dance ou busque treinos funcionais online. Manter-se ativo traz benefícios na melhora da disposição, humor, perda de peso e saúde cardiovascular. Ao mesmo tempo, o exercício físico tem a capacidade de aumentar nossa resposta antioxidante e imunológica”, diz a ginecologista Dra. Eloisa Pinho, da Clínica GRU.

+++ Prática de exercícios é fundamental na pandemia para aumentar imunidade, diminuir risco de trombose e melhorar saúde geral do organismo

Sua garrafa d’água é, e sempre será, sua melhor amiga

"Quanto menor a ingestão de água, maior a viscosidade do sangue. Além disso, a desidratação favorece a queda da pressão arterial, ameaçando vários órgãos. O consumo adequado de água garante que o organismo seja irrigado e bem nutrido de sangue", afirma a Dra. Aline Lamaita.

Não reacenda o cigarro

Cada vez que você inala a fumaça do cigarro, sua frequência cardíaca e sua pressão arterial aumentam temporariamente. Então, se você parou de fumar na pandemia, mantenha-se assim. E, caso você ainda não tenha parado, faça-o o quanto antes. “Com o tempo, as substâncias tóxicas do cigarro obstruem suas artérias, aumentam a coagulação, danificam seus pulmões, enfraquecem seus ossos e sistema imunológico, além de aumentar a inflamação”, alerta o Dr Juliano Burckhardt. Por isso, parar de fumar é indispensável para a manutenção da saúde. “Apenas 20 minutos depois de parar, sua pressão arterial e frequência cardíaca diminuem. Em 2 a 3 semanas, seu fluxo sanguíneo começa a melhorar. Depois de um ano sem cigarros, você tem metade da probabilidade de sofrer com alguma doença cardíaca do que quando fumava. Depois de 5 anos, o risco é quase o mesmo do que alguém que nunca acendeu um cigarro”, afirma o médico.

Sono de qualidade não é uma opção

Com a pandemia, muitas pessoas puderam colocar o sono em dia. Mas com a vida voltando aos poucos ao normal, devemos lembrar que o sono não deve ser prejudicado pela rotina corrida. “O ideal é dormir entre sete a oito horas de forma consistente. Fugir desses valores é colocar a saúde em risco. Temos evidências extensas de que dormir cinco horas ou menos aumenta consistentemente o risco de condições adversas à saúde, como doenças cardiovasculares e até longevidade. Além disso, esse período é indispensável para a reparação do organismo e é importante para o bom funcionamento do sistema imunológico", explica Dra. Aline Lamaita.

Dormir bem também é capaz de potencializar uma série de funções cerebrais, auxiliando, por exemplo, na produtividade, na capacidade cognitiva, na melhora do humor e na diminuição do estresse e ansiedade. “Tempo e qualidade ao dormir nos deixam com um humor melhor e aguçam nosso cérebro. Também nos dão a energia e a capacidade de administrar nossas vidas ocupadas, desde exercícios físicos a até o trabalho”, afirma o Dr. Gabriel Novaes de Rezende Batistella. Se você não dormir o suficiente, mesmo uma tarefa simples pode exigir mais esforço mental. “Você também achará muito mais difícil se concentrar e poderá notar lacunas em sua memória de curto prazo”, afirma o especialista.

+++ 5 sequelas pós-Covid que você deve ficar atento

Sua pele sempre precisará de cuidados

O tempo livre combinado ao uso de máscaras, que podem causar uma série de problemas de pele, fez com que mais pessoas investissem nos cuidados com a pele durante a pandemia. Mas, mesmo com a rotina corrida, procure reservar um tempo para cuidar do maior órgão do nosso corpo, o que, além de contribuir para a saúde da pele e prevenção de doenças cutâneas, ainda retarda o surgimento de sinais do envelhecimento. “A principal causa do aparecimento das rugas, linhas de expressão e flacidez é a qualidade da pele. Uma pele mais espessa tende a demorar mais para apresentar rugas, assim como peles mais secas têm maior tendência às alterações. Além disso, fatores como exposição solar, poluição e hidratação também influenciam no envelhecimento da pele. Por isso, é importante investir em cuidados diários”, explica a Dra. Beatriz Lassance. E, para quem não tem muito tempo livre, o método de skincare conhecido como skip-care é um bom caminho, já que consiste na utilização de apenas três produtos que vão manter sua pele bem cuidada: um sabonete de limpeza, um hidratante e um filtro solar (usados nessa ordem).


FONTES:

*DRA. BEATRIZ LASSANCE: Cirurgiã Plástica formada na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e residência em cirurgia plástica na Faculdade de Medicina do ABC. Trabalhou no Onze Lieve Vrouwe Gusthuis – Amsterdam -NL e é Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) e da American Society of Plastic Surgery. Além disso, é membro do American College of LifeStyle Medicine e do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida.

*DRA. MARCELLA GARCEZ: Médica Nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da ABRAN. A médica é Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

*DR. JULIANO BURCKHARDT: Médico Nutrólogo e Cardiologista, membro Titular da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) e da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). É membro da American Heart Association e da International Colleges for Advancement of Nutrology. Mestrando pela Universidade Católica Portuguesa, em Portugal, atuou e atua como docente e palestrante nas suas especialidades na graduação e pós-graduação. O médico tem certificação Internacional pela Harvard Medical School, para tratamento da Obesidade. É diretor médico do V'naia Institute. Diretor Científico Brasil da European Academy of Personalized Medicine.

*DR. GABRIEL NOVAES DE REZENDE BATISTELLA: Médico neurologista e neuro-oncologista, membro da Society for Neuro-Oncology Latin America (SNOLA). Formado em Neurologia e Neuro-oncologia pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP, hoje é assistente de Neuro-Oncologia Clínica na mesma instituição. O médico é o representante brasileiro do International Outreach Committee da Society for Neuro-Oncology (IOC-SNO).

*DRA. ELOISA PINHO: Ginecologista e obstetra, Pós-graduada em ultrassonografia ginecológica e obstétrica pela CETRUS. Parte do corpo clínico da clínica GRU Saúde, a médica é formada pela Universidade de Ribeirão Preto, realiza atendimentos ambulatoriais e procedimentos nos hospitais Cruz Azul e São Cristovão, além de também fazer parte do corpo clínico dos hospitais São Luiz, Pró Matre, Santa Joana e Santa Maria.

*DRA. ALINE LAMAITA: Cirurgiã vascular, Dra. Aline Lamaita é membro da diretoria (comissão de marketing) da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, do American College of Phlebology, e do American College of Lifestyle Medicine, a médica é formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (2000) e hoje dedica a maior parte do seu tempo à Flebologia (estudo das veias). Curso de Lifestyle Medicine pela Universidade de Harvard (2018). A médica possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina. RQE 26557 http://www.alinelamaita.com.br/

Último acesso: 19 Sep 2021 - 04:33:59 (2863).