Acne na vida adulta: por que acontece e como tratar esse problema?

A médica Karla Lessa explica como surgem as espinhas e qual é o segredo para combatê-las

Viva Saúde Publicado quarta 21 julho, 2021

A médica Karla Lessa explica como surgem as espinhas e qual é o segredo para combatê-las
Médica explicou por que acne pode surgir na vida adulta e os tratamentos - Freepik/ freepik

Entre todas as mudanças causadas pelos hormônios da adolescência, a acne é a que traz mais desconforto. Isso porque o impacto de cravos e espinhas na aparência da pele afeta a autoestima de milhares de meninos e meninas. No entanto, o problema da acne também pode surgir na vida adulta.

“A acne é uma lesão causada pelo aumento da produção de sebo vinda das glândulas sebáceas. Esse excesso de oleosidade obstrui os poros e aumenta a proliferação de bactérias. Quando resultam em comedões, chamamos de ‘cravos’. Quando estão inflamadas, nascem as ‘espinhas’”, explica Karla Lessa, médica pós-graduada  em Dermatologia Clínica e Cirúrgica. 

A Sociedade Brasileira de Dermatologia estima que 56% da população convive com o problema depois dos 25 anos – especialmente mulheres – e não é incomum que a acne persista mesmo após os 40. A maioria dos casos é de pessoas que tiveram o problema na adolescência e permaneceram com ele. 

+++ Glass skin: dermatologista dá dicas para um glow na pele durante o inverno

“O fator genético influencia bastante: metade dos pacientes tem algum parente de primeiro grau com acne. As espinhas também podem ocorrer na gestação ou estarem associadas a algumas alterações hormonais, como síndrome do ovário policístico ou distúrbios da glândula suprarrenal”, cita a profissional.

No caso da acne adulta, a relação entre espinhas e alimentação também pode impactar a saúde da pele.

“O aumento de insulina no sangue estaria ligado à piora da pele. Quando ingerimos açúcar, a insulina também aumenta em nosso organismo e isso pode estimular a síntese de hormônios androgênicos, como a testosterona, por diversos tecidos do corpo. Esse fenômeno aumenta a liberação de sebo, e, consequentemente, a inflamação da acne”, enfatiza.

A médica apontou os tratamentos eficazes para a acne:

De acordo com a especialista, é essencial descobrir a causa antes de iniciar qualquer tratamento. Também é preciso avaliar fatores como uso de produtos e maquiagens, estresse, resposta imunológica e inflamatória do organismo.

“O tratamento ainda varia conforme a gravidade, a localização das lesões e o tipo de pele de cada paciente. Porém, de forma geral, é muito importante manter a pele limpa e lavar o rosto corretamente, com um sabonete indicado pelo seu dermatologista, além de adotar um uso regular de filtro solar”, ensina.

O uso das medicações tópicas é outra solução eficiente para combater as espinhas que já nasceram e evitar o nascimento de novas. “A máscara de LED e a luz pulsada , associados ao drug delivery podem em muitos casos, tratar a acne inflamatória através do controle da produção excessiva de queratina e sebo”, acrescenta.

“Para cicatrizes e acnes profundas, podem ser usados metódos como a, radiofrequência, microagulhamento, laser fracionado CO2 e ácido polilático como bioestimulador de colágeno. Manchinhas escuras, por sua vez, conseguem ser tratadas, podem ser tratadas com microneedling e peeling químico.”

+++ Veja como preparar máscara facial de limão e aveia, rica em vitamina C e antioxidantes, ideal para peles acneicas

Quando o quadro não evolui bem com essas técnicas, o tratamento por via oral pode ser a melhor solução. “É possível utilizar antibióticos, e, ao mesmo tempo, manter o tratamento local, com retinoides, peróxido de benzoíla ou ácido azeláico, por exemplo”, descreve. Outra solução que vem ganhando bastante popularidade é o uso da isotretinoína, medicamento conhecido como roacutan. Segundo Karla, é um tratamento que traz excelentes resultados –  contudo, necessita ser utilizado com cautela. 

“A substância é derivada da vitamina A e impede a produção de óleo. Assim, diminui a inflamação local e a possibilidade de proliferação bacteriana. Existem alguns efeitos colaterais, porém, são temporários. Dentre eles, podemos citar pele e lábios ressecados e sangramento nasal. Por todos esses motivos, é fundamental ter o acompanhamento médico durante todo o tratamento. Não deve ser a primeira nem segunda opção, mas é um ótimo tratamento quando bem indicado e minuciosamente acompanhado”, ressalta.


Sobre a médica Karla Lessa 

Médica, pós-graduada  em Dermatologia Clínica e Cirúrgica, pós-graduada em dermatologia avançada em Estética, Prevenção e Tratamento de Doenças relacionadas à Saúde da Pele e Capilar. Proprietária do Instituto Lessa, composto por médicos de variadas especialidades, psicólogos, dentista e nutricionistas; local que vem desenvolvendo um trabalho diferenciado no Brasil, de forma integrativa e multidisciplinar. O intuito do espaço é proporcionar para o paciente melhora da autoestima, realce da beleza individual, emagrecimento, gerenciamento do estresse com melhora da saúde física e mental de forma individualizada e otimizada.
Instagram
@drakarlalessa
@institutolessa

 

Último acesso: 19 Sep 2021 - 04:45:51 (2925).