Publicidade

Caspas: o que causam e como tratar? Dermatologista explica

Dermatologista explica quais são os sintomas mais frequentes das caspas e como o tratamento adequado deve ser feito

Caspas: o que causam e como tratar? Dermatologista explica
Caspas: o que causam e como tratar? Dermatologista explica – Foto: Freepik

Com certeza você conhece alguém ou até sofre com dermatite seborreica. Conhecida como caspas, ela é uma inflamação na pele que causa principalmente descamação e vermelhidão em algumas áreas da face, como sobrancelhas e cantos do nariz, couro cabeludo, orelhas e tórax. E o que pouca gente sabe é que não é só a oleosidade que causa a caspa.

Publicidade

Segundo o Ministério da Saúde, a causa não é totalmente conhecida, mas pode estar relacionada ao tipo de sebo produzido pela pele do indivíduo e a inflamação pode ter origem genética ou ser desencadeada por agentes externos, como alergias, situações de fadiga ou estresse emocional, baixa temperatura, consumo de álcool, alguns tipos de medicamentos e excesso de oleosidade.

Segundo o médico dermatologista Dr. Gustavo Martins, a presença de um fungo também pode provocar a doença. “Além disso, procedimentos químicos podem desencadear ou agravar a descamação no couro cabeludo. As escovas alisadoras, por exemplo, são as mais comuns de resultar em caspa porque causam queimadura e aumentam a oleosidade da região.”, disse.

Confira os sintomas mais frequentes das caspas:

– oleosidade na pele e no couro cabeludo;
– escamas brancas que descamam;
– escamas amareladas que são oleosas e ardem;
– coceira, que pode piorar caso a área seja infectada pelo ato de “cutucar” a pele;
– leve vermelhidão na área;
– possível perda de cabelo.

Dr. Gustavo também explicou que o tratamento deve ser acompanhado por um médico dermatologista e envolve o uso de produtos específicos para o problema, mas não há uma cura definitiva conhecida.

Publicidade

“Podem ser indicados medicamentos orais, como corticoides, antifúngicos, shampoos à base de corticoides, outros anti-inflamatórios ou ceratolíticos – como o ácido salicílico”, finalizou.