Produtos disfarçados: aprenda a ler as embalagens e não caia na cilada do 'alimento zero de tudo'

Nutricionista Thaísa Leal ensina a desvendar embalagens de produtos industrializados

Viva Saúde Publicado quinta 27 agosto, 2020

Nutricionista Thaísa Leal ensina a desvendar embalagens de produtos industrializados
Aprenda a ler os rótulos de embalagens com a nutricionista Thaísa Leal - Divulgação

Com o aumento da busca da população mundial por uma alimentação mais prática e saudável, a indústria alimentícia passou a oferecer opções que pareçam vantajosas aos olhos dos consumidores, apostando sempre em frases como "zero açúcar", "zero gordura" ou até mesmo "zero glúten" nas embalagens. Entretanto, muitos desses produtos possuem outros ingredientes com o mesmo propósito ruim dos outros e, alguns, com substâncias ainda piores. 

A nutricionista Thaísa Leal, pensando em ajudar o maior número de pessoas a não se deixarem enganar pelos rótulos e embalagens, ensina como desmistificar os produtos que compramos para fazer escolhas mais assertiva. “Precisamos entender do que é feito o produto que estamos adquirindo, por isso eu sugiro olhar a lista de ingredientes. Eles são obrigatoriamente listados em ordem de quantidade, sendo o primeiro ingrediente o mais presente na fórmula”, conta a nutricionista.

Ou seja: se o primeiro ingrediente for açúcar, já sabe né?

ALIMENTOS LIGHT E DIET SÃO SAUDÁVEIS?

Além disso, a especialista também nos mostra os principais enganos que cometemos na hora de escolher um produto. Muitas pessoas acreditam que um alimento light ou diet são saudáveis e que, estando ele nesse segmento, podemos consumí-los livremente, porém, Thaísa explica que comidas ligths são aquelas que possuem redução de 25% de algum componente da fórmula, não necessariamente sendo o açúcar ou a gordura.

Já o alimento diet é aquele isento de algum componente, o que também não quer dizer que ele dispensa o açúcar. 

“Muitos dos alimentos industrializados que se dizem sem açúcar acabam levando adoçantes não naturais, como a sacarina, aspartame e ciclamato de sódio. Também devemos ficar atentos aos outros nomes que o açúcar pode levar, como xarope de milho, glicose, frutose, sacarose, maltodextrina, açúcar demerara, refinado ou mascavo. Fuja desses itens, assim como de todos aqueles que possuem conservantes, corantes e aromatizantes artificiais”, afirma a especialista, explicando que os açúcares demerara e mascavos não se tornam mais saudáveis por serem menos refinados.

SOLUÇÃO

Para Thaísa, a solução é optar por adoçantes naturais, como o stevia, eritritol, maltitol e xylitol, mas sempre tomando cuidado para não cair em ciladas como “adoçante dietético preparado com stévia”

Outro ingrediente que devemos banir da nossa alimentação é o glutamato monossódico - presente em diversos temperos, pois é altamente cancerígeno, além de ser um disruptor endócrino. 

Desta forma, a nutricionista ensina o quão é  importante comer comida de verdade e, quando consumirmos produtos industrializados, saber ler a lista de ingredientes dos produtos que compramos para não sermos enganados pelo marketing e embalagens: “No início pode parecer um pouco chato ficar no mercado lendo rótulos, mas depois vocês já vão saber quais marcas e produtos gostam mais e tudo se torna mais fácil”, conta Thaísa.

 

Último acesso: 19 Jan 2021 - 08:08:11 (202).