saude   / Outubro rosa

Outubro rosa! Veja como cuidar da pele, unhas e cabelos durante o tratamento contra o câncer de mama

A quimioterapia pode causar efeitos que vão desde o ressecamento da pele até a sensibilidade ao sol

Viva Saúde Publicado terça 5 outubro, 2021

A quimioterapia pode causar efeitos que vão desde o ressecamento da pele até a sensibilidade ao sol
Tratamento contra a doença pode gerar alguns efeitos - Pexels/Anna Tarazevich

Outubro chegou e a cor da vez é a rosa. A campanha mundial tem o propósito de falar sobre o câncer de mama e a importância de realizar exames com frequência para prevenir ou tratar a doença. 

A dermatologia nos cuidados com a pele, unhas e cabelos é importante para as mulheres que estão em tratamento de combate ao câncer de mama, já que os mais comuns, como a radioterapia e a quimioterapia, podem causar vários danos e incômodos, como explica a médica Dra. Adriana Vilarinho, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia (AAD).

"A região das mamas é naturalmente muito sensível, e ao ser submetida à alta temperatura da radioterapia, a mulher pode sentir coceira, ardência e sensação bem desagradável no local. Por isso é importante lavar a região das mamas com sabonete neutro, manter a área limpa e seca, evitar produtos à base de álcool e perfumes e não tomar sol no local", ensina.

+++ Câncer de mama: Mulheres com silicone também precisam se prevenir

+++ Tudo sobre tumor cerebral: quais são os sinais de alerta? Tem cura? Sempre precisam ser operados?

Vários efeitos dermatológicos podem ocorrer, se o tratamento for com quimioterapia, como: ressecamento da pele, coceiras, alterações na pigmentação, surgimento de acne, síndrome mão-pé (ressecamento que pode causar rachaduras, vermelhidão, descamação), problemas nas unhas devido à baixa da imunidade, muita sensibilidade ao sol e a tão conhecida queda dos cabelos.

Para se livrar de qualquer incômodo, a Dra. Adriana lista 7 recomendações essenciais para manter a saúde e a autoestima durante o processo.

• Ressecamento de pele

O uso de hidratantes específicos para o corpo e o rosto, que sejam não-comedogênicos (ou seja, não formadores de cravos), sem perfumes e hipoalergênicos, a fim de minimizar a chance de irritação e alergias;

• Coceiras

Banhos rápidos e com água morna são mais indicados. Também é importante não esfregar a pele na hora de secar e hidratar bastante a pele após o banho;

• Alteração na pigmentação

Evitar exposição ao sol e usar maquiagem hipoalergênica. A pele fica muito sensível durante os tratamentos e, por isso, caso o paciente já possua manchas, é importante aguardar o término da quimioterapia ou radioterapia para verificar a possibilidade de uso de clareadores e ácidos, com um dermatologista;

• Síndrome mão-pé

Utilizar sabonetes suaves e hidratantes (indicados pelo médico) várias vezes ao dia;

• Unhas

As condições melhoram com o término da quimioterapia, mas não devem ser utilizados produtos à base de acetona e recomenda-se usar somente esmaltes hipoalergênicos;

• Sensibilidade ao sol

Manter braços e pernas cobertos (tecidos com proteção UVA e UVB), óculos escuros e chapéus, filtro solar (fator pelo menos 30) e evitar exposição solar das 10h às 15h, mesmo em dias nublados;

• Queda de cabelos

Alguns cuidados como o uso de toucas com resfriamento, durante a quimioterapia, podem ajudar a minimizar a queda.

Quando necessário, escolher perucas que tenham fita adesiva hipoalergênica, e o recomendado é que seja feito o teste com adesivo no braço por 24 horas antes de iniciar o uso. Caso opte por perucas coladas por 20 a 30 dias, que a base seja em silicone.

Vale lembrar que após a liberação médica podem ser realizadas sessões de laser e intradermoterapia, com medicações e vitaminas, que aceleram o crescimento capilar.

Último acesso: 29 Jan 2022 - 11:27:31 (3376).