saude   / Gravidez

Atenção, futuras mamães! 6 perguntas importantes para fazer ao ginecologista se você está pensando em engravidar

De acordo com o especialista, um corpo que se alimenta bem, se exercita bem e dorme bem, tende a funcionar melhor, inclusive do ponto de vista reprodutivo

VIVA SAÚDE Publicado quarta 9 setembro, 2020

De acordo com o especialista, um corpo que se alimenta bem, se exercita bem e dorme bem, tende a funcionar melhor, inclusive do ponto de vista reprodutivo
Veja 6 perguntas importantes para fazer ao ginecologista se você está pensando em engravidar - Freepik

O momento em que a mulher decide engravidar costuma ser um dos mais marcantes e importantes da vida dela. É preciso coragem e confiança para se planejar algo tão grande assim!

Mas será que é preciso se PREPARAR?

Se você está vivendo enfrentando essa fase, antes mesmo de começar a tentar, já deixamos claro aqui que é importante agendar uma consulta com o seu ginecologista.

Assim, o médico avaliará o seu histórico de saúde e, dará uma lista de conselhos para que você tenha uma gravidez saudável, com o mínimo possível de riscos.

Essa consulta será o momento de esclarecer todas as suas dúvidas com o especialista! 

Dica amiga: anote todas elas antes de chegar no médico, para não se esquecer de nada enquanto estiver na salinha.

Aqui vão seis sugestões de perguntas para você:

+++ VEJA TAMBÉM: Uso de celular na gravidez pode ser prejudicial ao bebe e à gestante? Saiba mais

+++ VEJA TAMBÉM: Estudo revela que ser mãe depois dos 33 aumenta as chances da mulher viver até os 95 anos

 

1. Quanto tempo antes devo parar de tomar o anticoncepcional?

A partir do momento em que se interrompe o uso da maioria dos anticoncepcionais hormonais, o organismo já entende que está liberado para voltar a funcionar visando à gravidez em mulheres em idade reprodutiva”, respondeu Renato de Oliveira, ginecologista e obstetra, para o Portal Bebê. 

No entanto, alguns outros métodos contraceptivos como as injeções trimestrais, podem manter o funcionamento hormonal “bloqueado” por mais tempo, postergando o retorno dos ciclos ovulatórios, como acrescentou o doutor.

 

2. Algum medicamento pode afetar a fertilidade?

Segundo Renato, qualquer medicação que altere o eixo hormonal pode impactar na fertilidade. Alguns fármacos, por exemplo, podem alterar os níveis de um hormônio chamado prolactina e, consequentemente, interferir no processo de ovulação. 

O ideal mais uma vez é verificar com seu médico se alguns dos seus medicamentos de uso contínuo podem afetar a gravidez – e nunca interrompê-los por conta própria.

 

3. Devo tomar alguma vitamina ou suplemento?

De um modo geral, a suplementação com ácido fólico é a única indicada antes de engravidar, com o objetivo de diminuir os riscos de fechamento do tubo neural do bebê e assim reduzir o risco de malformações, como esclareceu Renato. Já as demais suplementações deverão ocorrer dependendo do padrão nutricional da mulher.

 

4. Preciso tomar alguma vacina?

A maioria das vacinas são liberadas durante a gestação e podem ser aplicadas em todas as mulheres que desejam engravidar, como as antitetânicas, contra hepatite B, tétano ou gripais.

Algumas, porém, devem ser feitas antes da gravidez e há a necessidade de que a mulher não engravide nos três meses seguintes – por ser um vírus atenuado que pode ser transmitido ao bebê. “Este é o caso da vacina da rubéola e da febre amarela, as quais a mulher deve evitar tomar no período da gestação”, disse o especialista em reprodução humana. 

 

5. Preciso mudar o meu peso, dieta ou hábitos alimentares?

“Sabe-se que extremos de peso podem interferir na fertilidade”, respondeu o ginecologista. De acordo com ele, há um conceito denominado epigenética que diz respeito a como o meio ambiente pode interferir na expressão dos nossos genes.

Assim, “um corpo que se alimenta bem, se exercita bem e dorme bem, tende a funcionar melhor, inclusive do ponto de vista reprodutivo”, disse, mas nada exclui o acompanhamento com uma nutricionista para verificar se a dieta precisará de alguma adaptação neste período.

 

6. Condições ginecológicas podem interferir na capacidade de engravidar?

Alguns corrimentos são inofensivos, mas outros podem exigir uma atenção extra da mulher. Manter os exames em dia – desde os de mama até o papanicolau e outros de rotina – é importante especialmente nesta etapa.

Último acesso: 24 Sep 2020 - 01:18:50 (294).