saude   / Hábito persistente

A oneomania, doença do consumismo exagerado, atinge principalmente as mulheres

Quem sofre com esse problema pode usar de racionalizações para justificar seu comportamento

VIVA SAÚDE Publicado quinta 1 outubro, 2020

Quem sofre com esse problema pode usar de racionalizações para justificar seu comportamento
Você faz compras compulsivas? A oneomania, doença do consumismo atinge principalmente as mulheres - Freepik

Você já ouviu falar da oneomania? Muitas vezes pode ser vista como brincadeira pela ridicularização do centro do problema - as compras -, mas essa doença realmente é um assunto sério.

Esta condição tem como principal característica o fato do paciente comprar indiscriminadamente e compulsivamente coisas que muitas vezes não são necessárias. Com isso, ele foca no processo de consumir, e não no que está sendo consumido.

Segundo a psicóloga Marisa de Abreu no canal de Youtube Psicólogos em São Paulo, esse problema, que atinge principalmente o gênero feminino - quatro mulheres para cada homem com a doença - se dá de forma descontrolada. O consumidor, neste caso, sente um impulso comportamental, nega as suas consequências e não consegue controlar esse comportamento.

 

+++ VEJA TAMBÉM:  Ansiedade: especialista indica quando passa a ser ideal tratar o transtorno com remédios

+++ VEJA TAMBÉM:  Terapia auxilia na autoconfiança e na inteligência emocional; confira 5 motivos para começar

 

Também, de acordo com o livro “Compulsive Buying: A Phenomenological Exploration. Journal of Consumer Research”, resultados de pesquisas indicam que as pessoas que compram compulsivamente costumam ter baixa autoestima e são mais propensas a fantasias.

Além disso, quem sofre com a oneomania pode usar de racionalizações para justificar compras excessivas como: recompensas por algo que se conquistou, ou se perdeu, ou ainda uma compensação por um dia “ruim” ou simplesmente porque “merece”, buscando sempre o sentimento de felicidade

PAPEL DO PROFISSIONAL NA VIDA DO PACIENTE

O papel dos psicólogos nessa doença é auxiliar na diminuição do sofrimento individual causado pelo problema, mas também produzir conhecimentos e intervenções que abram espaços para as pessoas refletirem e, assim, descobrirem as condições que as levam para esse vício.

Lembrando que se você se identificar com algumas características dessa doença, é muito importante procurar um especialista.

 

Último acesso: 05 Dec 2020 - 05:00:28 (448).