Testeira

De acidente em zoológico a promessa paralímpica: A natação na vida de Vrajamany Rocha

Ele ganhou repercussão nacional por ter seu braço arrancado, mas encontrou nas águas um futuro, para o Brasil e para ele próprio

Marcello Sapio, com a supervisão de Marina Pastorelli Publicado sexta 5 fevereiro, 2021

Ele ganhou repercussão nacional por ter seu braço arrancado, mas encontrou nas águas um futuro, para o Brasil e para ele próprio
Vrajamany usa a natação como instrumento de superação - Transmissão TV Globo/ Acervo Pessoal

O que você faria se, em um acidente, tivesse o seu braço arrancado por um tigre no zoológico? Sim, a situação é bem específica e você provavelmente deve ter se lembrado de um caso que aconteceu no começo da década.

Vrajamany acidente
Filmangens de Vrajamany do dia do acidente no Zoológico (Transmissão)

Pois é, em 2014, Vrajamany Rocha acabou ganhando espaço nos noticiários e em programas de TV pelo acidente que vitimou seu braço esquerdo em um zoológico da cidade paranaense de Cascavel, mas de um episódio trágico, hoje se vê esperança e ela tem uma cor. Na verdade, cinco cores. As dos cinco arcos olímpicos!

Hoje, a criança que comoveu o Brasil há seis anos, viu na natação a sua força para se superar e, além disso, uma carreira dourada a seguir.

REABILITAÇÃO

Apesar da natação ter se tornado mais presente na vida de Vrajamany após o acidente, ele revelou que sempre teve uma ligação especial com as águas e como ela ganhou toda a importância que é hoje: “Eu sempre gostei de nadar, sempre gostei de piscina. Desde que eu nasci eu sei nadar. Tem até uma história engraçada que, quando eu tinha 2 anos, eu e o meu pai estávamos no SESC, ele me soltou e eu pulei na piscina funda, todo mundo ficou desesperado, mas eu sabia nadar. Após o meu acidente, tive que fazer reabilitação, com terapia ocupacional, psicólogos e condicionamento físico. Quando eu recebi alta, eles quiseram que eu continuasse fazendo um esporte e me indicaram a natação. Aceitei na hora. Nem sabia da natação como esporte olímpico ou paralímpico, fui fazer como reabilitação. Até que fui melhorando e meu professor me inscreveu num campeonato e quis competir cada vez mais”.

Ele, que sempre teve uma vida ligada aos esportes, de MMA, conta das práticas passadas e relata como pretende voltar com as aulas, quando conseguir: “Antes do acidente eu praticava Kung-Fu, porque eu sempre gostei de artes marciais, mas nunca voltei por conta da rotina corrida. Ainda tenho vontade de voltar a fazer um dia, se tiver tempo, faria Taekwondo, que é um esporte que gosto muito”.

Vrajamany Piscina
Vrajamany no treino de natação (Acervo Pessoal)

FUTURO NAS PISCINAS

Aos 18 anos, no momento em que muitos dos jovens decidem suas carreiras e profissões que farão pelo resto da vida, Vrajamany tem a ideia bem formada do que quer para o futuro: a natação.

Porém, ele consegue ver a natação -e o esporte como um todo- como uma espécie de válvula de escape da rotina, conseguindo ter uma função além da física.
"A natação pra mim é uma maneira de me divertir e me dedicar ao meu corpo. Eu acho que todo mundo tem que separar um tempo ao corpo e à mente, para ter uma qualidade de vida. A natação e o esporte para mim são isso. Todo mundo tem que praticar, pelo menos, um esporte. É a profissão que eu escolhi.”.

E sempre ao falar do futuro, e principalmente do esporte paralímpico, o Brasil é uma verdadeira potência, em especial dentro das águas. Vrajamany conseguiu se consolidar como uma das promessas, sendo por diversas vezes campeão nacional e já sonhando com as Paralimpíadas de Paris, marcadas para 2024.

Ao falar do assunto, o nadador confessou que já sonha em pular nas piscinas francesas representando o Brasil: “ Eu enxergo que é uma grande honra e uma grande responsabilidade. Eu sei que estou fazendo o meu melhor para poder representar o meu nome, o meu clube e o meu país. Com certeza estarei nas Paralimpíadas!”.

EFEITO PANDEMIA

Com toda certeza, a pandemia do coronavírus afetou todos os atletas, tanto nas esferas olímpicas quanto paralímpicas, com o fechamento dos centros de treinamentos, academias e por aí vai.

Se manter em forma foi um verdadeiro desafio para todos e todas, principalmente para se adequarem aos equipamentos disponíveis. Foi uma verdadeira maratona.

Apesar disso, Vrajamany relatou que usou desse período para se aprimorar. E na volta às piscinas, ele colhe os frutos da dedicação: “Por conta da pandemia, fiquei sete meses sem entrar em uma piscina. Aí fiz muitos exercícios em casa, aprendi a fazer vários tipos de exercícios para me condicionar. Quando eu voltei (a nadar), fiquei só um mês e me afastei de novo. Mas nos treinamentos, abaixava meu tempo sempre e isso me motiva”.

Assim, de braçada a braçada, como ele faz com as suas marcas e tempos, a distância de cerca de 9.400Km para Paris vai ficando cada vez menor: “Com certeza estarei nas Paralimpíadas”.

 

PALAVRA DO PROFESSOR
Diferente do que muitos, infelizmente, ainda pensam, a natação envolve muita técnica além de “bater perna”.

E, acrescentando, a atividade é uma das melhores no quesito de aprimoramento físico e altamente recomendado para pessoas que sofrem com doenças respiratórias, já que exercita muito os músculos envolvidos na respiração.

Segundo o professor de natação Eduardo Modenez, o esporte é uma verdadeira “carta coringa”, inclusive não tendo nenhuma restrição das idades “Natação é um esporte completo com predominância Aeróbia. Trabalha toda a parte muscular ao mesmo tempo, além da parte cardiorrespiratória.  Acelera o metabolismo otimizando a queima de gordura. Fortalece os músculos proporcionando aumento de massa magra e em consequência, com a prática frequente, diminui a massa gorda (gordura abdominal e geral). É indicado para todas as idades, inclusive bebês”.

Ele ainda continuou na lista -nada pequena- dos benefícios que a natação traz, e além disso, super indicado para a maior-idade: “A natação proporciona um benefício para todos. É bastante indicado para a 3ª idade por não apresentar impacto nas articulações nem sobrepeso ao corpo em geral, porque a água elimina a ação da gravidade. Em relação a prática da natação nas demais faixas etárias também não existe contra-indicação. Muito pelo contrário. É muito recomendado por profissionais de Educação Física e por médicos. Para se ter um bom aproveitamento dirigido à saúde, é indicado a prática semanal de pelo menos três vezes por semana”.

Por fim, Eduardo ainda falou como a natação age no corpo, só reforçando o quanto é benéfico a sua prática: “Melhora o condicionamento cardio-respiratório, fazendo com que o coração trabalhe com mais economia e eficiência, diminuindo a frequência cardíaca basal. Acelera o metabolismo ajudando na queima de gordura e emagrecimento, diminui a ansiedade e fortalece o sistema imunológico, muito importante nos dias atuais”.

Assim sendo, o esporte vai bem para todas as pessoas e consegue ser benéfico para qualquer que seja a sua meta. E, convenhamos, no verão escaldante, um esporte aquático, para se refrescar enquanto se exercita é melhor ainda.

Existem diversas academias, clubes e escolas aquáticas em boa parte das cidades, com os mais variados preços. Nada que uma boa busca não ajude! Mas vale lembrar que algumas podem estar fechadas, dependendo de como a sua cidade ou região está em relação ao coronavírus.
    
 

Último acesso: 06 Mar 2021 - 14:03:57 (1500).